Maria Shu - Foto: Christiane Forcinito
Maria Shu - Foto: Christiane Forcinito

Em 2018 ao encenar O Sorriso da Rainha, a dramaturga e roteirista baiana radicada em São Paulo Maria Shu via em cena o resultado de um longo processo de pesquisa sobre a vida e o legado da rainha Elizabeth I, monarca que governou a Inglaterra e a Irlanda de 1559 a 1603, ano de sua morte.

Sob a direção de Alexandre Brazil, a atriz Cacau Merz dava vida à monarca que, na obra, traçava um paralelo entre sua vida, a obra do dramaturgo inglês William Shakespeare e o processo de fake news, então em franca ascensão no Brasil.

Foi a partir destas pesquisas que a dramaturga se deparou com a história de rivalidade familiar entre Elizabeth I e sua prima, a ex-rainha da Escócia Mary Stuart. E é nesta relação que se baseia Maria da Escócia, texto inédito de Shu sobre a relação das duas primas que resultou na prisão e decapitação de Stuart.

Sob a direção do mesmo Brazil e contando com Cacau Merz reprisando seu papel como Elizabeth I, o texto será apresentado na noite desta quarta-feira, 19, no projeto De e a Partir de Shakespeare, ciclo de leituras promovido no Itaú Cultural pelo produtor e diretor Alexandre Brazil.

O evento acontece às 19h e é gratuito. A atriz Djin Sganzerla assume o papel de Mary Stuart na leitura que contará com trilha original de Gregory Slivar.