Bruno Perillo e Rita Pisano discutem efemeridades da vida de um casal em live de experimento cênico

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Escrito em 2015 para leitura dentro do Festival Satyrianas, realizado anualmente pela Cia. Os Satyros, Poderia ter Sido, assinado pela vencedora do Prêmio Shell Ângela Ribeiro, não chegou a ganhar montagem nos palcos da capital, mas seguiu permeando a memória daqueles que haviam assistido a leitura há cinco anos.

Com a pandemia do novo Coronavírus exigindo o isolamento social e o fechamento de teatros e espaços culturais, uma série de obras passou do campo físico para o virtual e tomaram (nova) forma. Entre eles, Poderia ter Sido que será apresentado neste domingo, 28, às 19h dentro do projeto #PalcoPresente em live nos perfis oficiais do Teatro João Caetano no Facebook e no Instagram.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Protagonizado por Bruno Perillo e Rita Pisano, sob a direção de Ribeiro, Poderia ter Sido narra o diálogo de um casal durante uma viagem de carro, que, durante uma discussão, repensam a vida que escolheram e como ela seria se tivessem traçado caminhos amorosos, familiares e financeiros diferentes.

Sob a edição de vídeo e trilha sonora de Caio Oviedo, o experimento cênico discute as possibilidades das decisões que tomamos ao longo da vida tendo como fundo saudosismo representado pelo repertório da banda britânica The Cure.

A apresentação é gratuita e acontece às 19h. Quem perder a sessão terá outra chance. O grupo realizará nova leitura no dia 14 de julho no projeto Rede de Leituras, de Marcello Airoldi e Thiago Albanesi, também gratuito.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio