Carolina Stofella - Foto: Divulgação
Carolina Stofella - Foto: Divulgação

Artista internada por mais de 30 anos num manicômio latinoamericano e considerada incompreendida pela sociedade, medicina e por sua própria família, Maria do Pilar ganhará vida através da pele da atriz Carolina Stofella, que protagoniza Loucas, texto da dramaturga uruguaia Sandra Massera que ganha versão brasileira assinada por Fábio Câmara sob a direção de Dan Rosseto.

Com estreia ainda não confirmada, Loucas marca a estreia de Stofella nas lives cênicas em formato já recorrente desde o início da pandemia do novo Coronavírus, que obrigou a instauração de política de quarentena preventiva e isolamento social.

Primeira incursão de Câmara pela tradução dramatúrgica, Loucas narra a história de Pilar que, ao longo de mais de 30 anos se correspondeu com o mundo através de cartas, contando sua história e tentando se mostrar apta ao convívio em sociedade. A artista nunca pôde ser liberada da medicina manicomial.

Stofella emplaca sua terceira parceria com Câmara e Rosseto. Juntos, o trio produziu os espetáculos Enquanto as Crianças Dormem (2017) e Eles não Usam Black-Tie (2018). O trio se preparava para iniciar o processo de produção de Aliens, quando a pandemia paralisou o mercado teatral ao redor do mundo.