Coletivo Estopô Balaio celebra uma década de atividade com festival, revista e Mostra de repertório

Coletivo vencedor do Shell celebra 10 anos de criação na zona leste de São Paulo

Publicado em 07/10/2021 09:30
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Há uma década, uma série de artistas migrantes se reuniram fora dos ciclos clássicos do teatro paulistano e, num bairro relativamente distante das clássicas avenidas da cidade, formaram o Estopô Balaio, companhia integrada ao Jardim Romano, bairro da zona leste da capital.

Para celebrar esta primeira década de atividade, a companhia, formada por nomes como Ana Carolina Marinho, Juão Nyn, Wemerson Nunes, Anna Zêpa e Lisa Ferreira, além dos colaboradores João Batista Jr., Keli Andrade e David Costa, dá início ao festival 10 Anos de Arte Migrante em São Paulo, que, até o mês de dezembro, enfileira espetáculos e atividades para discutir a visibilidade nordestina e indígena na produção cultural brasileira.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Na programação, a companhia apresenta uma Mostra de repertório com a encenação de três das oito obras criadas pelo grupo ao longo destes 10 anos. De 04 a 28 de novembro, o Estopô entra em cena no universo digital para reencenar A Cidade dos Rios Invisíveis (2012), Carta 1: A Infância, Promessa de Mãe (2017) e o recente Reset Nordeste (2021).

Vencedor do Prêmio Shell de 2019 na categoria Inovação, pelo trabalho realizado no Jardim Romano, o grupo mergulha também na própria história com o lançamento da edição digital da Revista Balaio, na qual compilam textos de parceiros da companhia para lembrar as principais passagens da linha temporal das produções da Cia.

O evento de lançamento da Revista Balaio acontece entre os dias 26 e 28 de outubro, sempre às 20h, com transmissão no canal oficial do coletivo no YouTube. Em dezembro, o grupo lança a terceira edição de sua Mostra Balaio de Cenas Curtas, no qual convida artistas e grupos independentes a apresentarem trabalhos autorais dentro da programação de atividades comemorativas.

Por fim, o grupo lança o Casa Balaio Virtual Convida que, quinzenalmente, sempre às sextas-feiras, recebe shows de artistas indígenas que, sob a curadoria de Juão Nyn, apresentam espetáculos que fomentam a linguagem da arte indígena. As apresentações são online com transmissão no perfil oficial do grupo no Instagram. Todas as atividades são gratuitas.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio