Companhia Nova celebra duas décadas com obra em que mergulha na mitologia grega para discutir apatriação

Espetáculo recupera figuras como Kassandra, Hécuba, Prometeu e Hércules e estabelece relações contemporâneas

Publicado em 05/11/2021 10:30
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Fundada há exatas duas décadas pelo diretor Lenerson Polonini, a Companhia Nova de Teatro dará início à celebração de seus vinte anos de trajetória artística com a estreia de Apátridas, espetáculo que chega ao palco do Teatro Arthur Azevedo a partir de hoje, 05, e no qual o grupo discute, através de mitos gregos, a apatriação, processo que acomete pessoas sem uma pátria materna e sem perspectiva de encontrar uma para chamar de sua.

Escrita por Carina Casuscelli, a obra se apoia nos mitos de Hécuba, Kassandra, Hércules e Prometeu para narrar a história de quatro figuras perdidas em busca de sua própria pátria. Estruturada em formato de quatro solos, Apátridas revisita a história de uma mulher (Kassandra) capaz de ver além do tempo e é desacreditada por se negar a entregar seu corpo ao deus Apolo, responsável por sua maldição, e representa os povos indígenas, prevendo a destruição de seu povo e das florestas que habitava.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em paralelo, a história de outra mulher (Hécuba), reconhecida a última rainha sobrevivente ao massacre de seu povo, e tornada escrava de seus inimigos. A personagem viu seus sonhos premonitórios realizados e agora, refugiada, encontra-se no meio da Amazônia com sua memória arruinada.

Nos solos, tanto Prometeu quanto Hércules são apresentados como dois homens negros. O primeiro representa um negro africano que evoca mitos de religiões de matriz africana e clama por justiça enquanto jovem e ativista, que tenta atravessar a fronteira de forma ilegal, portando uma mochila com passaportes falsos para ajudar outros compatriotas a fugir da guerra.

Hércules, por fim, é representado como um africano que faz uma travessia a bordo de uma embarcação precária ao lado de seus compatriotas, atravessando fronteiras marítimas e cruzando territórios.

Sob a direção de Lenerson Polonini e com elenco formado por Carina Casuscelli, Jacqueline Durans, Miguel Kalahary e Isidro Sanene, Apátridas cumpre temporada de 05 a 28 de novembro, com sessões de sexta-feira a domingo, às 21h (sextas e sábados) e às 19h (domingos). Os ingressos são gratuitos e podem ser retirados com uma hora de antecedência antes de cada sessão.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio