Debora Olivieri - Foto: Divulgação
Debora Olivieri - Foto: Divulgação

Em março, quando a pandemia do novo Coronavírus ainda estava no início e os resultados da crise sanitária ainda não eram massivamente esperados, uma série de artistas, impedidos de entrar em cena graças às determinações de isolamento da Organização Mundial da Saúde, levou para o online apresentações isoladas de seus solos.

Débora Olivieri fez parte deste grupo precursor que, ali naquele momento, inaugurou uma nova modalidade de produção que se tornaria constante durante a extensão da quarentena de prevenção e combate ao Coronavírus. A atriz realizou sessão única de seu solo, o festejado Rosa, encenado originalmente em 2013 e que lhe rendeu uma indicação ao Prêmio Shell.

O sucesso daquela primeira apresentação suscitou uma série de pedidos para novas sessões da obra, que volta ao universo online em formato de live cênica a partir desta sexta-feira, 07, dentro do projeto Rede de Leituras, criado por Marcello Airoldi e Thiago Albanese e que vem apresentando uma série de leituras online ao longo de quase quatro meses.

Dentro do projeto, já foram apresentados textos inéditos, além do resgate de obras estreladas por nomes como Amanda Acosta, Eduardo Martini e Suzy Rêgo, Otávio Martins e Carolina Ferraz, Lara Córdulla, Juliana Araripe, Giuseppe Oristanio, Helena Albergaria e Patrícia Gasppar, entre muitos outros.

A apresentação de Olivieri acontece às 20h desta sexta-feira e compõe programação que conta ainda com a leitura de obras inéditas, como Viewpoints, escrita e dirigida por Dan Rosseto e protagonizada por Otávio Martins e Guta Ruiz (04/08), E as Crianças?, de Bruno Cavalcanti sob a direção de Noemi Marinho e protagonizada por Fernanda Viacava e Nicole Cordery (06/08) e A Barba do Pai, de Ed Anderson sob a direção de Yara de Novaes e protagonizada por Leopoldo Pacheco (09/08).