Em Fôlego, Priscila Paes vive mulher que descobre na corrida cura paliativa para a epilepsia

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Jovem dramaturgo escocês que vem despontando como um dos principais nomes da dramaturgia britânica, Gary McNair tem sua primeira peça montada nos trópicos com a estreia de Fôlego, solo protagonizado por Priscila Paes que chega ao universo online a partir deste sábado, 01.

Narrando a história de uma mulher que descobre na corrida uma forma de evitar as convulsões causadas pela epilepsia e tem a chance de fazer uma cirurgia no cérebro capaz de sanar o problema, o espetáculo chega ao Brasil sob a direção de Kiko Rieser em curtíssima temporada.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Precisando lidar com o medo que ronda a cirurgia – capaz de acabar com a epilepsia, mas deixando sequelas – a personagem decide se inscrever na ultramaratona conhecida como Corrida da Morte, na qual percorrerá 110 milhas no deserto localizado na cidade de San Antonio, no Texas (EUA).

A obra busca refletir sobre temas pouco tratados no debate da saúde pública, entre eles o cuidado e as possibilidades para a epilepsia. Para se preparar para dar vida à personagem, Paes contou com o auxílio de profissionais da Associação Brasileira de Epilepsia e participou de encontros semanais com pessoas que sofrem da doença.

Fôlego fica em cartaz de 01 a 16 de maio com transmissão a partir da Plataforma Teatro, de Cristina Cavalcanti. As sessões acontecem aos sábados e domingos, sempre às 20h e os ingressos são gratuitos.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio