Fundindo circo e teatro, peça retrata pontos de conversão entre o cinema e a arte circense

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Grupo circense formado em 2008 no Campo Limpo, zona sul da capital, o Catraca do Riso ganhou notoriedade por fundir as linguagens cênicas e circenses em espetáculos de requinte apurado. Comemorando 11 anos de atividade, o grupo estreia, no próximo dia 01 de setembro, Quando o Circo Virou Cinema, espetáculo no qual retrata os pontos de conversão entre as duas artes.

Com texto assinado por Gustavo Guimarães Gonçalves, o espetáculo
narra a trajetória de uma trupe itinerante em busca de um lugar para ficar que
se depara com o famoso Circo Cinema da Lua, em ruínas e prestes a ser demolido.
Do glamour do circo, restou apenas um velho apresentador e as histórias a serem
lembradas.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A obra presta um tributo a nomes icônicos que, saídos do
circo, fizeram sucesso e revolucionaram o cinema, como o inglês Charles
Chaplin, o francês Georges Méliès, o norte americano Buster Keaton e o paulistano
Amácio Mazzaropi.

Itinerante, o espetáculo fará única apresentação no Parque
Chácara do Jockey (Redondão), antes de seguir em turnê por bairros da capital. Sob
a direção de Gustavo Guimarães Gonçalves, o espetáculo acontece às 15h com ingressos
gratuitos.

No elenco, Chris Oliveira, Fabrício Cardeal, Gustavo
Guimarães, Marisa Silva e a produtora Bruna Burtkert, que estreia nos palcos
neste espetáculo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio