Guilherme Sant’Anna verte clássicos de Cartola para o jazz em recital costurado por autores negros

Compositor carioca tem obra vertida para o jazz em récita dirigida por Elias Andreato

Publicado em 8/7/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Ator com passagem tão rara quanto preciosa pelo teatro musical paulistano, Guilherme Sant’Anna estreia neste sábado, 10, Cartola’s Jazz, recital roteirizado e dirigido por Elias Andreato no qual o ator põe sua voz tamanha a serviço de clássicos do repertório do compositor e cantor carioca Agenor de Oliveira (1908-1980), o Cartola.

Acompanhado pelo maestro e pianista Jonathan Harold e por um trio de jazz (em off), Sant’Anna interpreta clássicos como O Mundo é um Moinho (1976), As Rosas não Falam (1976), Autonomia (1977) e O Sol Nascerá (A Sorrir) (1961), entre outras canções compostas e gravadas pelo poeta ao longo de trajetória musical que imortalizou também outra obra, a do amigo Candeia (1935-1978), de quem gravou Preciso me Encontrar (1976).

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Costurando o roteiro musical, o ator interpretará textos escritos por autores negros, entre eles o poeta pernambucano Solano Trindade (1908-1974) e o ativista norte americano Martin Luther King (1929-1968) para versar sobre o amor, a política e as questões sociais que cercam a obra de Cartola.

A apresentação cumpre a programação digital do Teatro Vivo, em São Paulo, de onde é transmitido em única sessão gratuita às 21h neste sábado. Os ingressos podem ser retirados via Sympla. 

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio