Janaína Leite estreia ocupação com Mostra de seu repertório em São Paulo

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Atriz que se tornou referência na pesquisa sobre teatro documental e de autoficção no Brasil, além de ter seu trabalho em foco na 7ª MITsp – Mostra Internacional de Teatro de São Paulo, Janaína Leite estreia, a partir do dia 28 de fevereiro, sexta-feira, uma Mostra de seus trabalhos no Teatro Décio de Almeida Prado, dentro do Centro Cultural da Diversidade, no Itaim Bibi, zona oeste da capital.

Durante a ocupação, em cartaz até o dia 15 de março, Leite apresenta trabalhos referenciais, como os dois volumes de Feminino Abjeto e o cultuado Stabat Mater, indicado ao prêmio APCA de Melhor Espetáculo e ao Prêmio Shell de Melhor Texto.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Stabat Mater, inclusive, abre a programação e fica em cartaz de 28 de fevereiro a 01 de março às 21h (sext e sábado) e às 19h (domingo). Na bra, Leite divide a cena com sua mãe, Amália Fontes Leite, e o ator pornô Príapo, numa investigação sobre os limites entre efeito e risco, experiência e representação e pensando temas como maternidade e sexualidade através da história da Virgem Maria ao longo dos séculos e do apagamento da figura materna em seu trabalho autobiográfico anterior, “Conversas com meu Pai”.

Já em Feminino Abjeto 1, Leite orientou o processo de criação coletiva a partir de pesquisas sobre as representações do feminino, e o conceito de abjeção proposto pela filósofa e psicanalista búlgara Julia Kristeva. O espetáculo se apresenta nos dias 08 e 15 de março, domingos, às 19h. Em cena, 12 artistas (sendo 10 mulheres cis e 2 pessoas trans não binárias) investigam suas relações com os ideais de feminino.

Por fim, Feminino Abjeto 2: O Vórtice do Masculino, em cartaz nos dias 07 e 14 de março, sábados, às 20h, busca investigar as possíveis respostas para a pergunta: do que se faz um homem? Com 19 performers em cena, o espetáculo apresenta as contradições do feminino e do masculino.

Os ingressos custam de R$ 10,00 (meia) a R$ 20,00 (inteira).

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio