Dolores - Foto: Marcus Leone
Dolores - Foto: Marcus Leone

Em 2019, ao entrar em cena no Instituto Cultural Capobianco para apresentar para plateias cheias Dolores, solo escrito e dirigido por Marcelo Várzea, Lara Córdulla conseguiu não apenas uma de suas interpretações mais marcantes, mas angariou também indicações a prêmios e críticas elogiosas a este que é considerado um de seus momentos mais luminosos em cena.

A atriz agora retorna ao solo – que lhe rendeu uma indicação ao Prêmio APCA de 2019 – em live cênica agendada para hoje, 17, dentro do projeto Solos Femininos da Rede de Leituras de Marcello Airoldi e Thiago Albanese, que já apresentou leituras de nomes como Amanda Acosta e Ângela Figueiredo.

Com sessão agendada para às 20h no perfil oficial da Rede no Instagram (@rededeleituras), Córdulla se prepara para sua segunda incursão nas lives cênicas. A primeira foi em março, quando o movimento do teatro digital e das lives cênicas ainda engatinhava e tentava angariar espaço frente a crítica ferrenha de puristas.
Escrito especialmente para atriz, Dolores narra a história de uma atriz que decide se aposentar, mas, antes, realiza um encontro com colegas, amigos e membros da imprensa para passar sua história a limpo e assim não ser esquecida.