Online, experimento cênico enfoca memórias de mães torturadas pelo regime militar

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Fato já amplamente conhecido – ainda que veementemente negado em círculos menos afoitos a realidades históricas nas redes sociais – a tortura de mulheres grávidas ou com filhos recém-nascidos durante o período da Ditadura Civil-Militar no Brasil é apenas uma entre tantas manchas na história do país.

E é justamente esta a ferida que a companhia Agrupamento Andar7 pretende abrir com a estreia de Verônica, experimento cênico digital que chega ao universo online nesta sexta-feira, 09, com transmissão no perfil oficial do Teatro João Caetano no Facebook e no canal oficial da companhia no YouTube.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A obra narra a história da personagem-título, uma mulher presa pelo regime ditatorial de seu país, que vaga entre lembranças em busca da imagem de seu filho recém-nascido de quem foi separada. O espetáculo recupera memórias de mulheres presas, torturadas e separadas de seus filhos durante o período de 1964 a 1986.

Tendo como base o texto Todo Sacrifício Feito em Teu Nome, de Rudinei Borges dos Santos, Verônica é estrelada e dirigida por Luciana Ramin com as participações de Ju Lima e Ariel Ramin. Gravado no Nano Teatro, sede da companhia, o espetáculo fica em cartaz até o dia 18 de abril, sábados e domingos, às 21h e às 19h, respectivamente. A transmissão é gratuita.

ELAS RESISTEM

A agrupamento Andar7 disponibiliza ainda o registro do bate-papo com a diretora da União de Mulheres de São Paulo, coordenadora do Projeto Promotoras Legais Populares, integrante da Comissão de Familiares de Mortos e Desaparecidos Políticos e assessora da Comissão da Verdade do Estado de São Paulo  Amelinha Telles, a enfermeira Criméia Telles e a atriz, diretora e dramaturga Dulce Muniz, todas militantes pela democracia, presas e torturadas pelo regime militar.

As conversas aconteceram no dia 03 de abril, mas seguem disponíveis no perfil oficial da companhia no Instagram. Já nos dias 13 e 14 de abril, Luciana Ramin oferece um Laboratório Criativo Multimídia. Intitulado Elas Existem, Elas Resistem, o laboratório é voltado para mulheres e propõe exercícios práticos de criação cênica em ambientes virtuais em conjunto com tecnologias de vídeo.

Gratuito, o laboratório acontece às 16h e é gratuito. Para participar é preciso se inscrever através de e-mail oficial (andar7.producao@gmail.com) encaminhando carta de interesse e uma mini-biografia.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio