Yara de Novaes mergulha no passado familiar para investigar processo de embranquecimento no Brasil

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Há alguns anos, quando Yara de Novaes abriu caixas então lacradas de fotos e memórias familiares, se deparou com uma foto de sua bisavó, uma mulher negra do final do século XIX vestida de sinhá. O fato levantou na artista uma série de questionamentos acerca do processo de embranquecimento, racismo e representatividade no Brasil.

O resultado desses questionamentos será apresentado neste domingo, 10, em (Des)Memória, solo desenvolvido dentro do projeto Teatro EmMov Digital, idealizado e produzido dentro do mineiro Teatro em Movimento, que apresentou, ainda em 2020, projetos desenvolvidos por Cacá Carvalho e Bárbara Paz.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O espetáculo será apresentado de forma gratuita no dia 10 de janeiro, domingo, e permanecerá disponível, inicialmente, até o dia 30 de janeiro. A transmissão é gratuita.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio