A Peça do Casamento | Foto: Lina Sumizono
A Peça do Casamento | Foto: Lina Sumizono

Anos antes de se consolidar como um dos nomes do primeiro escalão do teatro brasileiro graças a sua pungente Violet Weston na elogiadíssima primeira montagem brasileira de Agosto, de Tracy Letts, Guida Vianna já colecionava espetáculos de fôlego em seu currículo. Vencedora do Prêmio Shell por seu desempenho em Nada de Pânico (2003), a atriz experimentou prestígio e o sucesso popular em uma série de obras ao longo de quase 50 anos de carreira dedicada aos palcos.

Um destes títulos, A Peça do Casamento, se tornou um dos espetáculos mais celebrados da trajetória artística desta atriz e diretora carioca que se relacionou com naturalidade a um dos textos mais doídos e pungentes da obra do dramaturgo norte americano Edward Albee.

Sob a direção de Pedro Brício, o espetáculo (encenado em 2012) percorre caminhos de tom naturalista, sem jamais deixar o absurdo da obra de Albee de lado – característica traduzida no (ótimo) cenário concebido por Aurora dos Campos, no qual uma casa de classe média alta é retratada como a moldura do desgaste de uma relação posta à prova frente a realidade humana.

Na pele da dona de casa Gillian, Vianna entregou interpretação tocante baseada na fragilidade desgastante da personagem que, a medida que o casamento desmorona, se comprova menos passiva e independente do que faz supor suas cenas iniciais. O mesmo se pode dizer de Dudu Sandroni, que divide a cena com Vianna e constrói um Jack de fragilidade crescente.

É bonito registro que o ator imprime a personagem, flertando com a paixão e a crueldade. É Albee seco, valorizado pela luz de Tomás Ribeiro e pela trilha densa de Lucas Marcier e Fabiano Krieger.

Embora em vídeo, fica latente a beleza plástica impressa pela direção de Brício, que leva os atores ao embate cênico longe de qualquer zona de conforto, naturais nas armadilhas plantadas por comédias de costumes e dramas conjugais. Com texto na íntegra, a montagem foi importante passo na ideia de popularização da obra de Edward Albee no Brasil, que tem ganhado mais espaço para além das sucessivas montagens de Quem tem Medo de Virginia Woolf?, clássico atemporal responsável por eclipsar obras tão grandes quanto esta A Peça do Casamento.

Para assistir ao espetáculo na plataforma Espetáculos Online, acesse aqui: