Diários do Abismo - Foto: Divulgação
Diários do Abismo - Foto: Divulgação

Lançado em 1965, o primeiro livro da escritora e jornalista mineira Maura Lopes Cançado (1929-1993), Hospício é Deus entrou rapidamente para a história da literatura nacional ao levar à luz as memórias da autora sobre o tempo que passou internada em uma série de hospícios entre Minas Gerais e Rio de Janeiro.

Esgotada há décadas e com novas edições sempre entre os best-sellers do mercado editorial, foram precisos mais de 50 anos para que o livro ganhasse uma adaptação teatral e, com isso, voltasse a figurar entre as publicações mais importantes da literatura brasileira por servir como um denúncia poética e visceral do sistema de tratamento de doenças mentais do Brasil, capaz de crueldades sádicas.

O livro de Cançado opta por narrativa de tom coloquial numa alusão direta à estilística das crônicas jornalísticas publicadas por seus colegas autores em publicações como o Jornal do Brasil e O Globo em meados das décadas de 1950 e 1960. Manter este tom coloquial, quase como uma crônica encenada é um dos grandes trunfos de Diários do Abismo, a adaptação de Pedro Brício para as memórias da escritora mineira que chegou aos palcos em meados de 2018.

Celebrando 40 anos de trajetória artística, Maria Padilha mergulha nas memórias de Cançado respeitando o tom cronicamente leve da obra, o que potencializa a construção de uma personagem a todo o momento à beira de um abismo, mas sedada pela realidade que a cerca.

É essa construção a base em que Padilha se equilibra para driblar a frieza a transmissão online do projeto Teatro Já, do Teatro PetraGold, que, mesmo com o uso de diferentes câmeras e ângulos, não consegue fugir à impressão do teatro essencialmente filmado.

Sob a direção de Sérgio Módena – que pouco faz pela encenação e si -, Diários do Abismo é peça de tons monocórdios construída na leveza quase delicada de uma belle époque carioca, e é ao se assumir nestas características que o espetáculo triunfa, ancorado, principalmente, nos tons de sua intérprete, Maria Padilha.

SERVIÇO:

Diários do Abismo – Teatro Já!

Data: 07 a 28 de outubro

Local: Teatro PetraGold – Rio de Janeiro  (transmissão via Zoom)

Horário: 17h

Preço do ingresso: R$ 10,00 a R$ 200,00