Louise Cardoso borda delicada colcha de afetos em primeiro monólogo

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em 2016, a cantora Olívia Byington cativou o mercado literário com o lançamento de O Que é que Ele Tem, livro no qual narrava a trajetória que percorreu desde que descobriu que seu primeiro filho, João, era portador da síndrome de Apert, doença rara que passou a ganhar mais destaque em 2017, com o lançamento do filme Extraordinário, protagonizado por Julia Roberts.

Na publicação, a cantora exibe suas fraquezas e as dificuldades que percorreram os primeiros anos de sua maternidade. O livro, contudo, jamais deixa transparecer qualquer tom de autocomiseração, assumindo uma linguagem terna e de tons extremamente delicados.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

E saber traduzir essa linguagem em cena é exatamente o maior trunfo de O Que é Que ele Tem, adaptação teatral do livro de Byington, que estreou no último sábado,06, no Teatro Eva Herz, na Av. Paulista, após vitoriosa temporada no Rio de Janeiro, em 2018.

Sob a direção de Fernando Philbert, o monólogo estrelado por Louise Cardoso percorre trilhas delicadas, construindo, através das palavras de Byington, uma colcha de afetos frente às pessoas que passaram pela vida da cantora durante a criação de seu filho, e seus respectivos papéis em sua vida e, principalmente na vida de João.

Philbert constrói uma linguagem que, a despeito de não oferecer qualquer originalidade cênica, resulta funcional e até tocante. Ainda que, por vezes, ameace assumir certo tom edificante, o espetáculo sai ileso graças o desempenho de Louise Cardoso, experiente atriz que paira leve sobre as armadilhas da direção e, principalmente, da dramaturgia trivial de Renata Mizrahi.

Cardoso assume registros construídos com insuspeita delicadeza e até certo humor, privilegiados pelo carisma da atriz, que conta com icumplicidade inerente do público que lotou o Teatro Eva Herz na noite fria de um sábado a noite para ouvi-la narrando, através de dramaturgia que se pretende fragmentada, mas ressoa apenas linar.

O belo cenário de Natália Lana, apesar de subaproveitado em cena, empresta ao espetáculo uma beleza plástica mais ambiciosa do que a iluminação desenhada por Vilmar Olos deixa transparecer. Assim como a trilha de Marcelo Alonso Neves sublinha a trivialidade da direção de Philbert, que já entregara trabalhos mais cenicamente mais ambiciosos, mas, verdade seja dita, acerta na mosca no tom deste monólogo.

Mas, no fim das contas, o que realmente sobressai em O Que é Que Ele Tem, primeiro solo de Louise Cardoso, é a colcha de afeto bordada pela atriz no espetáculo de tom exato que, sem pesar nas tintas, toca e (até) emociona no seu próprio tempo.

SERVIÇO

Data: 06 de julho a 25 de agosto

Local: Teatro Eva Herz – São Paulo (SP)

Endereço: Av. Paulista, 2073 – Bela Vista – dentro do Conjunto Nacional

Horário: 21h (sexts e sábados); 19h (domingos)

Preço do ingresso: R$ 70,00 (inteira)/ R$ 35,00 (meia)

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio