Pequeno Ato joga com dinâmica teatral em espetáculo no qual reafirma vocação para o diálogo jovem

Espetáculo se alicerça na participação do público, o que nem sempre dá certo

Publicado em 15/09/2021 11:30
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Desde que mergulhou no universo online, com a encenação do premiado Caso Cabaré Privê, o grupo Pequeno Ato, encabeçado e gerido pelo diretor Pedro Granato, vem buscando desenvolver online o mesmo bem sucedido diálogo com o público que estabeleceu ao longo da encenação de obras como Fortes Batidas (2015), 11 Selvagens (2017) e Distopia Brasil (2019).

A julgar pelo sucesso da obra anterior e a adesão do público a Descontrole Público, o novo experimento que o grupo encenou no universo online entre 20 de agosto e 05 de setembro, esse diálogo está não apenas estabelecido como fortalecido.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Na obra, um grupo de amigos aluga um espaço para dar uma festa na qual celebram seu reencontro num cenário pós-isolamento causado pela pandemia. A partir deste encontro, o grupo decide viver intensamente todas as experiências possíveis como uma forma de homenagear a sobrevivência ao período pandêmico. Transmitido através de uma série de salas no Zoom, como na obra anterior, o espetáculo se movimenta a partir de ordens e indicações da própria plateia.

O público dá instruções ao elenco de forma a reagir a situações pré-estabelecidas pela dramaturgia de Beatriz Silveira e Felipe Aidar, autores do experimento anterior, e que, nesta obra, oferecem poucas opções dramatúrgicas para o desenvolvimento da história, completamente nas mãos do público.

Enquanto encenação, Descontrole Público propõe um jogo cênico mais interessante ao elenco do que propriamente à plateia. Ao longo de 30 minutos, o elenco permanece atento e disponível às instruções da plateia, que nem sempre está à altura do jogo proposto. 

Neste sentido, o Pequeno Ato se joga em seara arriscada, que nem sempre dá resultados profícuos, uma vez que o público nem sempre vai carregar nas cores da dramaturgia a ponto de fazer as histórias que se seguem obras realmente interessantes.

A encenação de Granato trabalha com o dinamismo dos videogames sem jamais abandonar a estética que desenvolveu ao longo dos anos com o grupo, presente, principalmente, no (bom) desenho de luz de Taiguara Chagas e nos figurinos de Isabella Melo.

Formado por Agnaldo Moreno, Álvaro Leonn, Andressa Lelli, Bea Carmo, Beatriz Silveira, Bela Tortato, Celina Vaz, Guilherme Trindade, Heloísa Pires, Julia Terron, Manfrin, Mariane Aguiar, Maysa Nanci, Natália Correa, Paloma Alecrim, Priscila Paes, Renata Xá, Taiguara Chagas, Talita Torrecillas, Victor Moretti e Well Bakari o (numeroso) elenco de “Descontrole Público” soa mais harmônico que o de Caso Cabaré Privê, por exemplo. Talvez justamente pelo fato de estarem em constante estado de alerta.

O fato é que, diferente de Caso Cabaré Privê, no qual o público fazia papel de coadjuvante de luxo para guiar a dramaturgia, em Descontrole Público a plateia assume ares de protagonista e agente da ação, o que joga o Pequeno Ato em ótimo estado de alerta, funcionando como um bom jogo de improvisação que promove a manutenção do diálogo com o público jovem, mas faz com que o espetáculo resulte dramaturgicamente monótono, resultando em boa experiência, mas com pouco a dizer.

SERVIÇO:

Este espetáculo está fora de cartaz.

Confira abaixo a ficha técnica completa de Descontrole Público:

Concepção e direção: Pedro Granato. Dramaturgia: Beatriz Silveira e Felipe Aidar. Assistente de direção: Gustavo Bricks. Elenco: Agnaldo Moreno, Álvaro Leonn, Andressa Lelli, Bea Carmo, Beatriz Silveira, Bela Tortato, Celina Vaz, Guilherme Trindade, Heloísa Pires, Julia Terron, Manfrin, Mariane Aguiar, Maysa Nanci, Natália Correa, Paloma Alecrim, Priscila Paes, Renata Xá, Taiguara Chagas, Talita Torrecillas, Victor Moretti e Well Bakari. Videomaker: Gustavo Bricks. Operador de Zoom: Felipe Aidar. Produção Executiva: Leticia Gonzalez. Iluminação: Taiguara Chagas. Figurino: Isabella Melo. Diretor de Arte: Renan Ramiro. Confecção de figurinos: Ateliêles. Assistente de Montagem: Diego Dac. Coreografia: Gabriela Gonzalez. Fotos: Victor Otsuka. Assistente de Fotografia: Letícia Cruz. Designer Gráfico: Lucas Sancho. Assessoria de Imprensa: Adriana Balsanelli. Produção: Contorno Produções. Direção de Produção: Jessica Rodrigues e Victória Martinez. Assistente de produção e comunicação: Carolina Henriques. Realização: Pequeno Ato. Apoio: Casa 8.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio