Judy Garland O Fim do Arco-Íris - Foto: Guga Melgar
Judy Garland O Fim do Arco-Íris - Foto: Guga Melgar

Em 2011, antecipando as comemorações pelos 90 anos que a atriz e cantora norte americana Judy Garland comemoraria se não tivesse saído de cena em 1969 em Londres, na Inglaterra, a dupla Charles Moeller e Claudio Botelho encenaram Judy Garland – O Fim do Arco-Íris, musical escrito pelo dramaturgo britânico Peter Quilter.

Narrando os últimos dias de vida a estrela norte americana, o musical flagrava Garland debilitada pelo vício em remédios e bebida enquanto realizava uma série de shows na casa Talk of the Town, em Londres, enquanto era explorada por seu quinto e último marido, Mickey.

O drama musical inspirou a filmagem de Judy – Muito Além do Arco-Íris, filme que toma o espetáculo como ponto de partida, mas também promove uma leitura biográfica sobre os dramas vividos por Garland desde que despontou para o estrelato, com a filmagem de O Mágico de Oz, quando sofria abusos de executivos da indústria e de colegas de elenco.

É o lançamento da obra cinematográfica, que deve dar o segundo Oscar para Renée Zellweger, que inspirou a dupla Moeller & Botelho a voltar a se debruçar sobre a peça de Quilter numa montagem que reestreará em breve no Rio de Janeiro estrelando mais uma vez Cláudia Netto, atriz que recebeu indicações a todos os prêmios pelo desempenho no papel da intérprete de Over the Rainbow. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Além de Netto, Claudio Botelho também estará no elenco na pele do pianista Anthony, o melhor amigo da estrela. Na montagem anterior, Botelho chegou a dar vida a personagem durante algumas sessões, substituindo o ator Gracindo Júnior, que logo depois foi substituído por Francisco Cuoco. Igor Rickli dava vida ao golpista Mickey, que ainda não tem intérprete definido na nova versão.