Nicole Cordery – Foto: Carlos Peder
Nicole Cordery – Foto: Carlos Peder

Atriz que sempre buscou estreitar os laços entre o teatro europeu e o brasileiro a partir dos anos 2000, quando realizou intercâmbio cultural na França desenvolvendo mestrado sobre o escritor sueco August Strindberg (1849-1912) na Université Sorbonne Nouvelle, Nicole Cordery é a entrevistada de hoje do Observatório em Casa, série de entrevistas realizada no perfil oficial do Observatório do Teatro como uma das ações de incentivo a quarentena preventiva de combate a novo COVID-19 (Coronavírus).

Cordery retornou ao Brasil para encenar Strindbergman em 2009, dentro da programação do Ano da França no Brasil. Seis anos mais tarde, estreita os laços com a diretora sueca Bim de Verdier, com quem encena Dissecar uma Nevasca, espetáculo que lhe rendeu uma indicação ao Prêmio APCa por sua performance na pele da Rainha Cristina, com direito a uma turnê pela Suécia e pela Dinamarca.

Na entrevista que acontece hoje, às 19h, Cordery passa a limpo sua trajetória enquanto avalia a influência do teatro europeu no Brasil a partir de sua experiência agregadora.