Aguinaldo Silva | Foto: Divulgacao
Aguinaldo Silva | Foto: Divulgacao

O dramaturgo e novelista Aguinaldo Silva nem bem encerrou as férias após a exibição de sua última novela, O Sétimo Guardião, e já prepara um retorno a escrita de ficção nos palcos. Enquanto germina texto sobre Adão e Eva, Silva também prepara uma adaptação de Isadora Duncan – É Dançando que a Gente se Aprende, peça escrita pelo autor em 1983 encenada no ano seguinte com Norma Bengell na pele da bailarina que revolucionou a dança do século XX e morreu vitimada de um trágico acidente enquanto dirigia.

Ainda sem elenco ou temporada definidas, o espetáculo deve estrear ainda este ano em São Paulo, na Casa Aguinaldo Silva de Artes, na Vila Buarque, zona central de São Paulo. Em 2007, Letícia Spiller, sob a direção de Bibi Ferreira, deu vida a bailarina em montagem que reuniu ainda Oscar Magrini, Marly Bueno, Anselmo Vasconcelos e Laura Proença.

Na obra, Silva narra a história de uma atriz apaixonada pela bailarina americana e que deseja montar uma peça em sua homenagem, mas encontra problemas como a falta de apoio e patrocínio. O real e a ficção se misturam no espetáculo que, originalmente, tinha dois atos e quase 3 horas de duração. Nesta nova montagem, Silva deve adaptar o texto para cerca de 80 minutos.

Outras personagens se fundem a história, como o modernista Oswald de Andrade, e o escritor João do Rio. Quem viver…