Aumento de casos de Covid volta a afetar agenda de espetáculos entre São Paulo e Rio

Confira as produções que adiaram ou suspenderam suas temporadas devido ao aumento exponencial de novos casos

Publicado em 14/01/2022 11:30
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O exponencial aumento de novos casos de Covid-19 causado pelas festas de fim de ano e pela nova variante do Coronavírus, Ômicron, tem afetado a agenda de espetáculos previstos para estrear no início deste mês de janeiro tanto em São Paulo quanto no Rio de Janeiro.

Agendados para estrear nesta sexta-feira, 14, nos palcos dos sescs Pompéia e Ipiranga, respectivamente, os espetáculos Com os Bolsos Cheios de Pão, de Matéi Visniec, e Estudo nº 1 – Vida e Morte, sob a direção de Luiz Fernando Marques.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Protagonizado por Edgar Castro e Donizeti Mazonas sob a direção de Vinicius Torres Machado, Com os Bolsos Cheios de Pão narra a história de dois homens indignados com um cachorro jogado em um poço, mas sem conseguir se movimentar para tirá-lo de lá. Já Estudo nº 1 – Vida e Morte é obra produzida pelo grupo Magiluth com base no poema Vida e Morte Severina, do poeta pernambucano João Cabral de Melo Neto (1920-1999).

Já no dia 21, o espetáculo “Chroma Key”, que chegaria ao palco do Sesc Avenida Paulista, também teve sua temporada adiada por tempo indeterminado. Os espetáculos seguem o fluxo de outras produções que, no início deste janeiro, precisaram suspender suas temporadas ou adiar suas reestreias.

Anunciado na manhã de ontem, 13, a reestreia de A Pane, de Friedrich Dürrenmatt (1921 – 1990), sob a direção de Malú Bazán, também teve sua estreia suspensa no palco do Teatro FAAP, enquanto os musicais Chicago, As Cangaceiras e Silvio Santos Vem Aí adiaram suas estreias nos palcos do Teatro Santander, TUCA e do Teatro Raul Cortez, respectivamente, em São Paulo. Já o Oficina Uzyna Uzona cancelou a temporada de janeiro de seu espetáculo O Bailado do Deus Morto.

Em paralelo, o ator, diretor e gestor do Teatro União Cultural, Eduardo Martini, anunciou que os próximos espetáculos a entrarem em cartaz no palco do espaço contarão com a capacidade de público reduzida, como foi no início da retomada cultural. O artista reestreará a comédia Uma Lágrima para Alfredo na sexta-feira, 21, e o drama biográfico Simplesmente Clô no sábado, 15, além de receber o solo musical Araca, estrelado por Raphael Gama, no domingo, 23. 

Já no Rio de Janeiro, a produção do musical A Cor Púrpura alterou para o dia 20 de janeiro a retomada de sua temporada no palco do Teatro Riachuelo, no Centro, enquanto o musical Copacabana Palace – O Musical, no palco do Teatro do Hotel Copacabana Palace, na zona sul, suspendeu sua temporada. 

Por fim, o ator Rafael Canedo adiou a estreia presencial de seu solo, Gays – Modos de Amar, que chegou originalmente ao universo digital e tinha planos para cumprir temporada com a presença do público no Rio de Janeiro.

É esperado que outros espetáculos, agendados para estrear ou retornar aos palcos ainda em janeiro, também adiem suas estreias para fevereiro.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio