Cláudia Netto viverá Maysa em musical dirigido pelo filho da cantora, Jayme Monjardim

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Atriz e cantora que construiu carreira de sucesso no teatro musical brasileiro, tendo protagonizado montagens do quilate de O Rei e Eu (2010), Judy Garland – O Fim do Arco-Íris (2011) e Se eu Fosse Você – O Musical (2014), Cláudia Netto se prepara para dar um dos passos mais corajosos de sua carreira. A atriz dará vida à cantora Maysa (1936-1977) em musical encenado pelo filho da cantora, o diretor Jayme Monjardim.

Com o título provisório de Maysa – O Musical, o espetáculo pretende narrar a vida da cantora desde sua adolescência até o sucesso massivo nas rádios com canções como Meu Mundo Caiu, Ouça e Resposta, passando por seu relacionamento conturbado com a quatrocentona família Matarazzo e com o compositor, produtor e jornalista Ronaldo Bôscoli (1928-1996).

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Não será a primeira vez, contudo, que a atriz dará vida a uma personagem icônica da música popular brasileira. Netto deu vida à cantora Dircinha Batista (1922-1999) na montagem de Somos Irmãs (1998), musical de Sandra Louzada (1950-2017) dirigido por Cininha de Paula e Ney Matogrosso que narrava a relação das irmãs Dircinha e Linda Batista (1919-1988).

Ainda sem data confirmada para chegar aos palcos, o projeto do musical sobre Maysa é um desejo antigo de Monjardim que, desde que dirigiu a Minissérie escrita por Manoel Carlos exibida pela rede Globo em 2009, arquiteta contar a históra da mãe nos palcos.

PROBLEMAS JUDICIAIS

Em 2016, o projeto chegou a ser anunciado, mas imbróglios legais impediram que o espetáculo chegasse aos palcos. Na época, as produtoras Brancalyone e Fidélio Produções foram acusadas de fraudar documentos para a captação de incentivo via Lei Rouanet. Na época, o valor do projeto era estimado em R$ 15,7 milhões.

O jornal Folha de S. Paulo, a época, apurou que as duas produtoras responsáveis pelo projeto utilizaram quatro orçamentos forjados para justificar gastos de R$ 2,5 milhões com aluguel de aparelhos de ar-condicionado.

O projeto, então ficou congelado no Ministério da Cultura e, quando liberado, não conseguiu  captação de recursos para ser executado.

O OUTRO LADO

Em pronunciamento, a atriz Cláudia Netto ressaltou que o novo projeto contará com uma nova produção e novo orçamento, que em nada se refere aos anteriores citados na matéria.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio