Home Destaque Com surpresas e esnobes na temporada, Prêmio APCA divulga lista de indicados do segundo semestre

Com surpresas e esnobes na temporada, Prêmio APCA divulga lista de indicados do segundo semestre

0
Com surpresas e esnobes na temporada, Prêmio APCA divulga lista de indicados do segundo semestre
Prêmio APCA | Foto: Divulgação

Divulgada na noite de ontem, 21, a lista de indicados à edição 2021 do Prêmio APCA de Teatro surge com boas lembranças para a temporada e alguns esnobes surpreendentes. Consenso deste segundo semestre, Sueño, de Newton Moreno, aparece entre os espetáculos indicados na categoria presencial, que levantou boa surpresa ao lembrar de Hamlet 16×8, sob a direção de Marco Antônio Rodrigues e estrelado por Rogério Bandeira.

Já no campo virtual, figura o (ótimo) As Aves da Noite, sob a direção de Hugo Coelho com base em texto de Hilda Hilst (1930-2004), e Leonardo da Vinci – A Obra Oculta, espetáculo estrelado por Cacá Carvalho em que segue a mesma trilha adotada em obra anterior, também no campo online, A Próxima Estação.

O campo virtual também trouxe a indicação do Coletivo Labirinto para seu Onde Vivem os Bárbaros, espetáculo que faz parte da série de pesquisas do grupo sobre o teatro latino americano.

Já no campo presencial, os esnobes foram mais surpreendentes do que necessariamente as indicações. Cock, de Mike Bartlett, sob a direção de Nelson Baskerville e que cumpriu temporada na Oficina Cultural Oswald de Andrade, angariou indicação a despeito de montagens excelentes ao longo da temporada.

Embora divisiva, Tectônicas, de Samir Yazbeck sob a direção de Marcelo Lazzaratto, se sobressaiu como boa obra de reconexão com o teatro clássico, enquanto O Arquiteto e o Imperador da Assíria, tal qual Sueño, surgiu como imponente encenação responsável por voltar a levar o público ao teatro, mesmo frente a obra espinhosa.

Um Picasso, do Tapa, repete o esnobe da temporada de 2020, quando o grupo viu navios mesmo com a (ótima) montagem de De Todas as Maneiras que há de Amar, que, a bem da verdade, caminhava pela mesma seara de encenação da incensada montagem de Cock (o texto de Bartlett é uma referência direta à Counting the Ways, de Edward Albee).

A crescente aversão do júri aos musicais nos últimos anos explica com folga a ausência de outro grande espetáculo da temporada, Barnum – O Musical, assim como outros espetáculos que mereceriam mais atenção, entre eles Nossos Ossos, da Companhia de Revista, e Mulheres Sonharam Cavalos, sob a direção de Malú Bazáz.

Entretanto, justiça seja feita, é importante a lembrança para Estilhaços de Janela Fervem no Céu da Minha Boca, grande obra do coletivo A Digna que, embora figure em categoria alienígena, Prêmio de Novas Propostas Cênicas, como único indicado, poderia figurar tranquilamente também na categoria de melhor espetáculo presencial.

Confira abaixo a seleção de indicados do ano. O júri votante nas categorias deste segundo semestre foi formado por Celso Curi, Edgar Olimpio de Souza, Evaristo Martins de Azevedo, José Cetra, Kyra Piscitelli e Vinício Angelici.

PRIMEIRO SEMESTRE:

Espetáculos

Desfazenda – Me Enterrem Fora Desse Lugar

Dora

Monstro

Sede

Terra Medeia

Prêmio Avanço Digital

O Híbrido, de Robson Catalunha, pelo caráter tecnológico inovador;

The Art of Facing Fear, da Cia Os Satyros, pelo ineditismo de Rodolfo García Vázquez em dirigir 25 intérpretes ao vivo em cinco continentes

SEGUNDO SEMESTRE:

Espetáculos

Presencial

Cock

Hamlet 16×8

Sueño

Virtual

As Aves da Noite

Leonardo da Vinci – A Obra Oculta

Onde Vivem os Bárbaros

Prêmio Novas Propostas Cênicas:

Estilhaços de Janela Fervem no Céu da Minha Boca