Dama do teatro do absurdo inglês, Caryl Churchill ganha leitura cênica em São Paulo

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Dramaturga inglesa que, aos 80 anos de idade, segue sagrada a principal dama do teatro do absurdo inglês, Caryl Churchill ganhará um elenco de peso voltando a se debruçar sobre sua obra. Mais de seis meses após a montagem de Chá e Catástrofe, com Chris Couto, Selma Egrei, Agnes Zuliani e Clarisse Abujamra, a diretora Eugênia Thereza de Andrade promove a leitura de Coração Partido, peça encenada em 1997 sobre um homem que visita várias senhoras dizendo-lhes ser seu filho perdido.

Tratando de temas
como a solidão e a esperança, Coração
Partido
será apresentada amanhã, terça-feira, no Teatro Anchieta, dentro do
Sesc Consolação, às 19h30, com ingressos gratuitos. A direção será assinada por
Marco Antônio Pâmio, e o elenco contará com Agnes Zuliani, Bete Dorgan, Chris
Couto, Clara Carvalho, Cláudio Curi, Tuna Dwek, Sérgio Mastropasqua, Karen
Coelho, Caetano O’Maihlan e Júlia Azzam.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A leitura faz parte
da décima terceira edição do projeto 7 Leituras,
7 Autores, 7 Diretores
, do Sesc Consolação, e já recebeu a leitura de
autores como Eugène Ionesco, Harold Pinter; Arthur Adamov, Fernando Arrabal e
Jean Genet. A próxima leitura acontece no dia 27 de agosto, e abordará o
clássico “Esperando Godot”, do dramaturgo irlandês Samuel Beckett.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio