Expoente da dramaturgia popular, Wilson Coca sai de cena vítima da Covid-19

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Saiu de cena na manhã deste sábado, 27, o dramaturgo, diretor, ator, produtor e multi artista paulista Wilson Coca, vítima da Covid-19. Responsável pela manutenção de um teatro popular e um dos principais expoentes do gênero, ao lado do colega Ronaldo Ciambroni, Coca escreveu e dirigiu algumas das comédias mais icônicas do circuito popular do teatro paulistano.

Entre as obras que pôs em cena estão títulos como As Monalisas, A Sogra que Pedi a Deus, O Outono de Nossas Vidas, Segredos, Morte sem Suspeito, Favela do Tostão, entre (muitos) outros títulos que, ao longo de mais de 60 anos, construíram uma linguagem de aproximação da camada mais popular do público com comédias de situação, vaudevilles e comédias de costumes.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Toda a sua dramaturgia foi compilada em (impressionantes) sete volumes de publicações editadas via Giostri ao longo de 2014, em comemoração aos 60 anos de trajetória artística de Coca, e já teve intérpretes do quilate de Carol Hubner, Renato Scarpin, Paula Zanetti e Renato Papa, entre outros nomes essenciais para a construção de uma linguagem teatral chamada “mais acessível” ao público.

Nomes como Atílio Bari, Renato Scarpin, Maritta Cury, Augusto Marin e Pedro Leão lamentaram a saída de cena do artista nas redes sociais ao longo deste sábado. Não há informações sobre velório e enterro, mas sabe-se que não será aberto ao público.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio