Kiko Mascarenhas arquiteta temporada paulistana de solo sobre suicídio e depressão

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Não tivesse o mundo aderido ao isolamento social de prevenção e contenção do novo COVID-19 (Coronavírus), o ator e diretor Kiko Mascarenhas já teria estreado em São Paulo Todas as Coisas Maravilhosas, solo escrito por Duncan Macmillan que rendeu ao artista carioca uma indicação ao Prêmio Shell de Melhor Ator.

O espetáculo cumpriu elogiada temporada no Rio de Janeiro e deve estrear em São Paulo tão logo se dê o fim da pandemia que proíbe aglomerações em espaços fechados. Na obra, Mascarenhas dá vida a um homem que, imerso num processo depressivo e com pensamentos suicidas, inici uma lista com um milhão de motivos para continuar vivo.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A obra, montada originalmente nos Estados Unido, se tornou o maior sucesso da off-Broadway em meados de 2016 e foi gravada gerando um especial exibido pelo canal a cabo HBO.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio