Leopoldo Pacheco dirige texto sobre homofobia em relação conflituosa entre gêmeos

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O ator, diretor, figurinista e visagista Leopoldo Pacheco assinará a direção de Narciso, o quarto texto de Marcelo Varzea que sucede Silêncio.Doc (2018), seu texto de estreia, Dolores (2019), escrito especialmente para Lara Córdulla, e o ainda inédito Afã, que deverá ganhar os palcos em 2020 com Clarisse Abujamra e Zécarlos Machado, sob a direção de Yara de Novaes.

A primeira leitura aberta ao público de Narciso acontecerá no dia 20 de agosto, terça-feira, dentro do projeto Ciclo de Leituras Vivo, no Auditório Eco Berrini, na Av. Engenheiro Luís Carlos Berrini, 1376, às 19h. Não confundir com o Teatro Vivo. Os ingressos são gratuitos.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A obra trata da relação de dois irmãos gêmeos que seguiram
caminhos distintos na vida. Um se tornou um espírito livre e viajante, enquanto
o outro se tornou um homem retrógrado homofóbico. Apaixonados pela mesma mulher
na adolescência, os irmãos sempre sublinharam sua rivalidade, mesmo com o nascimento
do filho de um deles, o que inspira o retorno do outro.

O elenco é formado por André Dias, Flávio Tolezani, Paula Cohen
e o jovem ator J. Barletta. A censura é de 18 anos. “É meu texto mais forte e
contundente”, avisa Varzea. Para a retirada de ingressos, basta chegar com uma
hora de antecedência.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio