Líder de uma geração e arquiteto de um gênero cômico, Paulo Gustavo sai de cena aos 42 anos

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Saiu de cena na noite desta terça-feira, 04, vítima de uma embolia pulmonar, resultante de complicações da Covid-19, o ator, diretor, dramaturgo e humorista carioca Paulo Gustavo. O artista estava internado desde o dia 13 de março em hospital no Rio de Janeiro.

Natural da cidade de Niterói, o ator iniciou carreira profissional em 2004 com o espetáculo autoral Surtos, sucesso underground carioca que dirigiu ao lado de Fernando Caruso, e onde deu vida pela primeira vez à Dona Hermínia, a clássica sátira materna inspirada em sua própria mãe, Déa Lúcia.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Embora tenha ensaiado tímido sucesso, o espetáculo teve carreira relativamente curta, e acabou dando lugar a Infraestrutura (2005), no qual dividia a cena com o ator e autor Fábio Porchat sob a direção de Malu Valle. A obra ficou em cartaz na Casa da Gávea sem quebrar as barreiras cariocas.

O sucesso popular veio apenas no ano seguinte, em 2006, quando subiu ao palco do Teatro Cândido Mendes para estrear Minha Mãe é uma Peça, comédia autoral sob a direção de João Falcão que se tornou hit instantâneo do teatro carioca, cumprindo sucessivas temporadas no Rio, em São Paulo e em uma série de turnês por capitais do Brasil.

A obra resgatava Dona Hermínia, que dois anos antes já se mostrava uma das personagens mais populares de Surtos. O sucesso da sátira materna ultrapassou as barreiras do teatro chegando aos cinemas e dando origem a um dos blockbusters mais icônicos do cinema nacional contemporâneo.

O sucesso de Minha Mãe é uma Peça, tanto no teatro quanto no cinema, fez de Paulo Gustavo um ícone da comédia moderna, e deu ao artista carioca a pecha de líder de uma geração de comediantes que inclui ainda nomes como Cacau Protásio, Samantha Schmutz e Marcus Majella, responsáveis por uma linguagem popular que, se não agrada necessariamente aos críticos, é capaz de movimentar multidões.

Embora tenha estreado outros espetáculos de sucesso, como Hiperativo (2010), 220 Volts (2014) e Online (2016), Paulo Gustavo seguia em turnê contínua com Minha Mãe é uma Peça, obra seminal de uma nova geração de comédia popular que resgatou ao longo dos anos temáticas que, desde meados da década de 2010, pareciam proibidas no cenário cultural nacional.

Paulo Gustavo brincou sem medo de cancelamentos e julgamentos online, com um humor que dialogou diretamente com as massas, se provando um dos principais nomes de uma geração que voltou a rir de si mesma. Paulo Gustavo enquanto esteve vivo e cheio de graça fez muita gente feliz.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio