Livro enfileira trilogia de vozes femininas na obra de Beckett após experimento digital

Sob a tradução de Fábio Ferreira, textos do dramaturgo discutem o apagamento na voz da mulher

Publicado em 21/01/2022 09:30
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Entre a primeira metade da década de 1970 e o início dos anos 1980, o dramaturgo irlandês Samuel Beckett (1906-1989) escreveu uma trilogia de pequenos textos endereçados à atriz inglesa Billie Whitelaw (1932-2014), com quem desenvolvera profícua parceria ao longo dos anos 60 e elegeria sua principal atriz ao longo das décadas.

Embora escritos para compor uma trilogia, os textos jamais haviam ganhado uma montagem conjunta até 2021, quando a atriz carioca Carolina Virgüez levou para o universo online Vozes do Silêncio – Filme não Filme, experimento digital no qual a artista encenava, na sequência, Not I (1972), Footfalls (1975) e Rockaby (1981), sob a tradução e direção do pesquisador, tradutor e diretor Fábio Ferreira.

A obra agora ganha o mercado editorial com a publicação de Samuel Beckett – Vozes Femininas, livro em que Ferreira enfileira suas traduções para as três obras do dramaturgo irlandês: Não Eu (Not I), Passos (Footfalls) e Cadência (Rockaby). Posta nas lojas via Cobogó, a coletânea apresenta a voz feminina desenvolvida por Beckett para contestar o apagamento, o cancelamento e o silenciamento da mulher frente à sociedade.

Já disponível no site oficial da editora, Samuel Beckett – Vozes Femininas conta com prólogo assinado por Fábio de Souza Andrade, tradutor e autor de Samuel Beckett: O Silêncio do Possível e orelha assinada pela pesquisadora Helena Martins.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio