Marcos Caruso, Arlete Salles e Ney Latorraca cantarão tema inédito em disco póstumo de Marília Pêra

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Atriz, cantora, produtora, intérprete e diretora, Marília Pêra saiu de cena em dezembro de 2015, em decorrência de um câncer no pulmão. Antes de partir, contudo, a artista deixou registrado o início de um trabalho fonográfico que, quatro anos pós sua morte, verá a luz do dia.

Ainda sem data de lançamento nem título definidos, o projeto contará com seis canções interpretadas por Marília, que deixou seis faixas gravadas com vozes guia e que, por decisão de sua irmã, Sandra Pêra, serão reunidas no disco a ser lançado pela gravadora carioca Biscoito Fino. Entre as faixas estão Lua e Flor (canção de Oswaldo Montenegro composta para a peça Brincando em Cima Daquilo, sucesso teatral de Marília que ganhou um compacto para chamar de seu em 1984).

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Outros temas são A Cara do Espelho (do espetáculo A Feiticeira, que também ganhou registro fonográfico, e previamente lançado como single), Duas Contas (do violonista Garoto) e Não me Deixes Mais (a versão em português assinada por Fausto Nilo para o clássico belga Ne me Quitte Pas, de Jacques Brel).

Outras seis faixas, sem a voz da interprete, também entrarão
no disco na interpretação de amigos e colegas de Marília, entre elas está Chinelinho Chinfrim, letra assinada pela
própria Marília com música de Guilherme Lamounier, compositor de hits como Enrosca, gravado pelo cantor Fábio Jr. e
pela dupla Sandy & Júnior.

A canção entra no disco em gravação dividida por Marcos Caruso, Arlete Salles, Ney Latorraca, Sandra Pêra, Ricardo Graça Mello, Amora Pêra entre outros amigos e familiares de Marília, que encontraram na faixa uma forma de homenageá-la. A produção do disco é assinada também por Sandra Pêra, responsável por encabeçar o projeto.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio