Prêmio Botequim Cultural
Prêmio Botequim Cultural

Premiação que há oito anos vem se sagrando uma das mais importantes do teatro carioca, o Botequim Cultural, criado pelo jornalista e crítico de teatro carioca Renato Mello, divulgou na tarde de hoje, 30, os indicados do primeiro semestre de 2019.

Encabeçando o prêmio, com seis indicações, o espetáculo Eu, Moby Dick, de Pedro Kosovski, é seguido por As Crianças, de Lucy Kirkwood, com quatro indicações. Na seara dos musicais, Cole Porter – Ele Nunca Disse que me Amava, da dupla Charles Möeller e Cláudio Botelho, e Ao Som de Raul Seixas: Merlin e Arthur – Um Sonho de Liberdade lideram cada um com seis indicações, seguido do drama musical O Som e a Sílaba, de Miguel Falabella.

O júri – basicamente masculino – é formado por Gilberto Bartholo, Renato Mello, Sergio Fonta, Wagner Correa de Araújo e Zé Helou.

Confira abaixo a lista completa de indicados do primeiro semestre do teatro carioca.

DRAMA/COMÉDIA

Melhor Espetáculo

– As Crianças

– Eu, Moby Dick

– A Ira de Narciso

Melhor Direção

– Daniel Herz (Cálculo Ilógico)

– Renato Rocha (Eu, Moby Dick)

– Rodrigo Portella (As Crianças)

Autor (Original/Adaptado)

– Pedro Kosovski (Eu, Moby Dick)

– Pedro Paulo Rangel (O Ator e o Lobo)

– Stephane Brodt (Jogo de Damas)

Ator

– Gilberto Grawonski (A Ira de Narciso)

– Kiko Mascarenhas (Todas as Coisas Maravilhosas)

– Ricardo Kosovski (Maracanã)

Atriz

– Analu Prestes (As Crianças)

– Maria Eduarda de Carvalho (Meninas e Meninos)

– Stella Freitas (As Crianças)

TEATRO MUSICAL

Melhor Espetáculo

– Cole Porter – Ele Nunca Disse que me Amava

– O Som e a Sílaba

Melhor Diretor

– Charles Möeller (Cole Porter – Ele Nunca Disse que me Amava)

– Miguel Falabella (O Som e a Sílaba)

Melhor Autor (Original/Adaptado)

– Charles Möeller (Cole Porter – Ele Nunca Disse que me Amava)

– Miguel Falabella (O Som e a Sílaba)

– Marcia Zanelatto (Ao Som de Raul Seixas: Merlin e Arthur – um Sonho de Liberdade)

Melhor Ator

– Mateus Ribeiro (Peter Pan, o Musical da Broadway)

– Patrick Amstalden (Ao Som de Raul Seixas: Merlin e Arthur – um Sonho de Liberdade)

Melhor Atriz

– Alessandra Maestrini (O Som e a Sílaba)

– Bel Lima (Cole Porter – Ele Nunca Disse que me Amava)

– Kacau Gomes (Ao Som de Raul Seixas: Merlin e Arthur – um Sonho de Liberdade)

TEATRO INFANTOJUVENIL

Melhor Espetáculo

– Um Conto de Fado Padrinho

Melhor Direção

– Bia Freitas(Um Conto de Fado Padrinho)

Melhor Autor(Original/Adaptado)

– Danielle Fritzen (Um Conto de Fado Padrinho)

Melhor Ator

– João Velho (Pangeia)

– Mario Neto (Um Conto de Fado Padrinho)

Melhor Atriz

– Cacá Ottoni (Ana Fumaça Maria Memória)

– Manuela Gwyer (Um Conto de Fado Padrinho)

ATOR/ATRIZ EM PAPEL COADJUVANTE (sem distinção de segmento)

Ator Em Papel Coadjuvante

– Glaucio Gomes (O Preço)

– Ranieri Gonzalez (Navalha na Carne)

– Saulo Segreto (Ao Som de Raul Seixas: Merlin e Arthur – um Sonho de Liberdade)

Atriz Em Papel Coadjuvante

– Claudia Ventura (A Verdade)

– Dida Camero (Como se um Trem Passasse)

CATEGORIAS TÉCNICAS (sem distinção de segmento)

Direção Musical

– Claudio Botelho(Cole Porter – Ele Nunca Disse que Me Amava)

– Felipe Habib e Daniel Castanheira(Eu, Moby Dick)

– Wladimir Pinheiro(As Comadres)

Cenografia

– Bia Junqueira (Eu, Moby Dick)

– Sergio Marimba (Navalha na Carne)

– Simone Mina (Por Favor, Venha Voando)

Figurino

– João Pimenta (Ao Som de Raul Seixas: Merlin e Arthur – um Sonho de Liberdade)

– Marcelo Marques (Cole Porter – Ele Nunca Disse que me Amava)

– Thanara Schonardie (Peter Pan, o Musical da Broadway)

Iluminação

– Bernardo Lorga (Solo)

– Renato Machado (Os Desajustados)

– Wagner Antonio (A Ira de Narciso)

Direção de Movimento/Coreografia

– Alonso Barros (Peter Pan, o Musical da Broadway)

– Paulo Mantuano (Eu, Moby Dick)

– Toni Rodrigues (Ao Som de Raul Seixas: Merlin e Arthur – um Sonho de Liberdade)

PRÊMIO ESPECIAL (artista, criador ou manifestação relevante ao cenário teatral carioca)

– Bel Kutner, à frente da direção artística na Cidade das Artes.

– Diego Teza, pelo trabalho de pesquisa de textos e traduções, com destaque para As Crianças, Meninas e Meninos e Todas as Coisas Maravilhosas.

– Midrash Centro Cultural, pelos 10 anos de atividade e contínuo incentivo às artes cênicas.