Retratando a relação abusiva no showbusiness, musical Mack and Mabel ganhará primeira montagem no Brasil

Sob a direção de Tadeu Aguiar, musical narra romance conturbado entre o cineasta Mack Sennet e a atriz Mabel Normand

Publicado em 01/10/2021 11:30
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Encenador incansável, Tadeu Aguiar estreia hoje sua versão de Uma Shirley Qualquer, solo estrelado por Susana Vieira com adaptação de Miguel Falabella para o clássico do teatro inglês Shirley Valentine, de Willy Russel. Em paralelo, o diretor prepara a reestreia de A Cor Púrpura, que volta aos palcos de São Paulo em novembro, no Teatro Sérgio Cardoso, enquanto arquiteta outras duas montagens.

Aguiar deve ser o diretor responsável pela montagem brasileira de Beetlejuice, musical que chegou à Broadway em 2018 que tem como base o filme homônimo de Tim Burton, que, no Brasil, recebeu o subtítulo de Os Fantasmas se Divertem. Estrelado por Kiara Sasso e Alexandre Nero, o espetáculo deve estrear em 2022.

Também no ano que vem o encenador prepara a primeira montagem brasileira de Mack and Mabel, musical com texto de Michael Stewart (1924-1987) e músicas de Jerry Herman (1931-2019) que narra a conturbada relação entre o diretor de Hollywood Mack Sennett (1880-1960) e a atriz Mabel Normand (1892-1930).

A dupla viveu um romance repleto de conflitos e se estabeleceu a construção de um relacionamento repleto de abusos e maus tratos enquanto Sennett buscava fazer de Normand sua grande estrela no período do cinema mudo. Ainda sem data confirmada para a estreia, Mack and Mabel deve chegar primeiro aos palcos do Rio de Janeiro antes de seguir por outras capitais.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio