Gottsha - Foto: Divulgação
Gottsha - Foto: Divulgação

Quando a pandemia do novo Coronavírus congelou o mercado das artes no Brasil, fechando teatros, casas de shows e centros culturais ao redor do país e paralisando produções em franco andamento, a cantora e atriz Gottsha se preparava para subir aos palcos em Vozes, produção assinada por Frederico Reder que daria continuidade à série de documentários musicais dirigidas pelo produtor desde 2016.

Impedida de entrar em cena, Gottsha passou a repensar as formas de se movimentar a favor da cultura do Rio de Janeiro e, aceitando um convite do amigo Marcelo Calero, decidiu que sairia candidata nas eleições de 2020, pleiteando uma das 51 vagas para a Câmara Municipal do Rio de Janeiro no cargo de vereadora.

Com candidatura confirmada pelo partido Cidadania, a atriz se lançará na carreira política com plataforma “baseada na defesa da cultura na cidade do Rio”, declarou. Gottsha engrossa o (ainda) fino de artistas do teatro musical que enveredou pela política, fazendo par com a também atriz e cantora Naomy Schölling, que, em 2016, tentou uma vaga pela Câmara de São Paulo pelo Partido Novo, mas não se elegeu.

Em paralelo aos preparativos para sua campanha, a atriz tem realizado diariamente uma série de lives ao lado da também atriz e cantora Simone Centurione, no qual discute música, teatro e assuntos relacionados à carreira no teatro musical.