Aquilo que Acontece Entre Nascer e Morrer - Foto - Ricardo Martins
Aquilo que Acontece Entre Nascer e Morrer - Foto - Ricardo Martins

Em meados de 2017, o ator, diretor, dramaturgo e pesquisador teatral Fabricio Moser se debruçou sobre a história de vida de sua avó, Laura, assassinada num crime passional. Na obra, que levava o nome da avó de Moser no título, o artista investigava temas como a violência, a saudade e a figura de uma avó como eixo central de uma família.

Dois anos após aquela primeira experiência, o ator voltou às pesquisas autobiográficas para, mais uma vez, investigar temas como a morte e o trauma de uma separação abrupta. Em Aquilo que Acontece Entre Nascer e Morrer, espetáculo que estreou em 2019 e volta ao Rio de Janeiro a partir do dia 07 de março, Moser se volta para a morte de seus pais num acidente de trânsito.

O espetáculo usa do fatídico acidente para tratar de temas como a saudade, a dor da separação e as formas que a morte afetam a vida através de diferentes linguagens, como a contação de histórias, a dança e o audiovisual.
Aquilo que Acontece Entre Nascer e Morrer fica em cartaz até o dia 29 de março, com sessões aos sábados e domingos, sempre às 20h na Casa 136, em Laranjeiras, zona sul do Rio de Janeiro. Os ingressos são vendido dentro da política da contribuição voluntária.