Após celebrar Frida Kahlo, Christiane Tricerri condensa gritos de mulheres vítimas de feminicídio em peça online

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Há dois anos em cartaz com bem sucedida montagem brasileira de Frida Kahlo – Viva la Vida, celebração a vida e a obra da pintora mexicana Frida Kahlo (1907-1954), escrita pelo dramaturgo também mexicano Humberto Robles, Christiane Tricerri estreia a partir desta quinta-feira, 25, Mulheres da Areia, também do autor.

Narrando a batalha das mulheres da cidade de Juarez, fronteira do México com os Estados Unidos, contra o feminicídio, o duo, dividido com Rubens Caribé, conta a história dos assassinatos de mais de mil mulheres neste que é considerado um dos lugares mais perigosos para mulheres na América Latina.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A obra também condensa na voz da atriz os gritos de mulheres que tentam lutar contra essas estatísticas. Mulheres da Areia é considerado um dos principais textos de Robles, além de ser a obra com mais montagens ao redor do mundo.

O espetáculo fica em cartaz com transmissão via Zoom até o dia 27 de março, sempre com sessão dupla, às 19h e às 20h30. Disponíveis via Sympla, os ingressos custam R$ 20,00 (valor único) e parte do valor arrecadado (30%) será destinado ao apoio da ONG Apolônias do Bem, que oferece tratamento odontológico integral e gratuito a mulheres que vivenciaram situações de violência e tiveram a dentição afetada durante as agressões.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio