Abelardo Pinto Piolin (palhaço Piolin) ao centro. Coleção Piolin, Acervo Centro de Memória do Circo/SMC/PMSP.
Abelardo Pinto Piolin (palhaço Piolin) ao centro. Coleção Piolin, Acervo Centro de Memória do Circo/SMC/PMSP.

Centro de Memória do Circo (CMC), do Centro Cultural Olido, localizado no centro de São Paulo, realiza uma programação especial em celebração ao Dia do Circo e Dia do Teatro, ambos comemorados em 27 de março. Mesma data de nascimento do consagrado Palhaço Piolin, interpretado pelo artista Abelardo Pinto (1897-1973).

E mais, neste ano o Festim Antropofágico comemora 90 anos. O evento realizado pela primeira vez em 1929 por artistas modernistas em homenagem a Piolin que completava 32 anos, originou o Dia do Circo no Brasil.

Crítica: Na Cama Com Molière é uma peça com celebrações, críticas e risos

A programação terá duas grandes atividades gratuitas, num verdadeiro happening circense. No dia 26 de março, a partir das 19h, será realizado o Encontro Reflexões sobre o Modernismo Antropofágico e Sua Relação com o Circo, com a participação de Zé Celso, fundador e diretor do Teatro Oficina Uzyna Uzona e da professora Maria Augusta Fonseca.

Já no dia seguinte, 27 de março, a partir das 15h, acontece o espetáculo Vamos comer Piolin! 90 anos de Festim Antropofágico. A montagem, que terá formato de cortejo e percorrerá pontos como o Largo do Paissandu e terminará na Galeria Olido, trará diversos atores interpretando importantes nomes do modernismo. São eles: Letícia Coura (Tarsila do Amaral), Camila Mota (Patrícia Galvão – Pagu), Pascoal da Conceição (Mário de Andrade). Além dos atores, haverá a presença dos palhaços do Grupo La Mínima (Fernando Sampaio e Filipe Bregantim), dos palhaços Xuxu, Romiseta, Pepin e Florcita, do equilibrista Bruno Edson e da família Sbano.

Programação:

Reflexões sobre o Modernismo Antropofágico e sua relação com o circo

Quando: dia 26 de março, terça-feira, às 19h.
Local: Centro de Memória do Circo (Sala Olido).
Quanto: Grátis.
Resumo: O objetivo da atividade é promover reflexões sobre o circo, o teatro, a literatura, a música e as artes plásticas no Brasil, a partir do envolvimento do Modernismo Antropofágico e o Circo, sobretudo na figura do palhaço Piolin que, mesmo não participando da Semana de 1922, tornou-se um dos símbolos do movimento. O encontro terá dois dos maiores especialistas sobre o assunto: Maria Augusta Bernardes Fonseca e José Celso Martinez Corrêa.

Vamos comer Piolin! 90 anos de Festim Antropofágico

Quando: dia 27 de março, quarta-feira, às 15h.
Local: Centro de Memória do Circo (Concentração Café dos Artistas).
Direção: Marcelo Drummond.
Elenco: Fernando Sampaio (Piolin), Raul Barreto (apresentador), Menotti Del Pichia (Filipe Bregantim) Letícia Coura (Tarsila do Amaral), Camila Mota (Patrícia Galvão – Pagu) e Pascoal da Conceição (Mário de Andrade). Os palhaços Xuxu, Romiseta, Pepin e Florcita, o equilibrista Bruno Edson, a família Sbano, em seus números de Laços e Chicotes, a apresentadora Ranny, as mestras Amercy Marrocos, Marília de Dirceu, Edméia Ferreira, o coro antropófago do Teatro Oficina, entre outros.
Sinopse: Trata-se de uma cerimônia, um espetáculo ritual com a participação de palhaços, acrobatas, equilibristas, atores, cantores e músicos. Eles celebram os mistérios do circo, do teatro, e do circo-teatro, afirmando a importância do circo e do palhaço nas artes e na cultura brasileira. Com números circenses, palhaçadas, músicas e cantos de Villa Lobos, o espetáculo ritual, que começa em forma de cortejo pela Av. São João e Largo do Paissandu, terminará na Sala Olido. O evento será pontuado com informações históricas. Destaque para textos de Oswald de Andrade, Paulo Prado, Menotti Del Picchia, Mário de Andrade, Yan de Almeida Prado sobre o circo e o Palhaço Piolin.