Natália Gonsales leva para o online solo sobre opressão feminina no chão de fábrica

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A atriz e produtora subirá neste sábado, 05, ao palco do Teatro Vivo, em São Paulo, para encenar o solo A Última Dança, escrito pelo ator, diretor e produtor Cesar Baptista (que assina a encenação ao lado de Janaína Suaudeau) com base nos diários da filósofa francesa Simone Adolphine Weil (1909-1943), que, no início do século XX entrou para uma fábrica como operária para escrever sobre a opressão sofrida por mulheres nestes ambientes.

Em cartaz desde 2016, o espetáculo é o segundo solo de Gonsales, que, de lá até aqui, foi a proponente e a estrela de outros dois projetos: a tragédia operística Carmen (2017), de Luis Farina baseado na novela homônima do francês Prosper Mérimée (1803-1870), sob a direção de Nelson Baskerville, e o íntimo Fóssil, de Marina Corazza sob a direção de Sandra Corveloni, eleito neste portal como um dos melhores textos do primeiro semestre de 2020.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A sessão única de A Última Dança acontece dentro do projeto Teatro Vivo em Casa, que tem realizado diretamente do palco do teatro na zona sul paulistana a transmissão de uma série de solos de nomes como Lena Roque, Martha Meola, Brian Penido Ross, Elias Andreato, entre outros.

A apresentação acontece a partir das 20h com transmissão via Zoom. Os ingressos são gratuitos e podem ser resgatados através da ticketeira online Sympla.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio