Idealizado por Bia Toledo e Tatiana Bueno, Festival de Teatro Independente anuncia programação de 1ª edição

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Artistas e produtoras, sócias na gerência do recém-inaugurado Alvenaria Espaço Cultural, Bia Toledo e Tatiana Bueno divulgaram na última semana a programação da primeira edição de seu FESTIN – Festival de Teatro Independente, que busca abarcar o trabalho de companhias e artistas de teatro da capital e do interior do Estado de São Paulo.

Previsto para iniciar na próxima quinta-feira, 01, o Festival  conta com obras que vão desde uma performance sobre os sonhos cotidianos interrompidos pela pandemia, até uma revisão do clássico A Mais Forte, de August Strindberg (1849-1912), passando ainda por um jogo performance, um drama sobre o sistema manicomial e as crises existenciais de um palhaço.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Transmitido gratuitamente através de site oficial, o FESTIN acontece até o dia 07 de abril, quarta-feira, e contará ainda com mesas de debate para discutir o teatro digital e suas formas de produção no último ano. Confira abaixo a programação completa da primeira edição do Festival de Teatro Independente:

1 de abril, às 21h

¡TE EXTRAÑO! (São Paulo – SP)

“A matéria dos sonhos são as memórias, mas a direção dos sonhos são os desejos.” Durante a quarentena de 2020, essa frase de Sidarta Ribeiro instigou a atriz Andrea Tedesco a solicitar que seus amigos lhe enviassem áudios narrando os sonhos que haviam tido ou que ainda viessem a ter. Esses áudios, juntamente com outros tantos de teor cotidiano, ficcionais e reais, foram organizados pela atriz para compor o espetáculo performático ¡Te Extraño!. A dramaturgia de ¡Te Extraño! aborda o período do isolamento social de 2020, devido à pandemia de covid-19, sem no entanto repisar ou reproduzir a violência do período. Porém, também não se esquiva de tangenciar essa violência por outras vias como a onírica e a ritualística. ¡Te Extraño! propõe, através de uma dramaturgia aberta à participação do público, que nos debrucemos coletivamente sobre a matéria dos sonhos. Dramaturgia, direção e performance: Andrea Tedesco.

2 de abril, às 21h

CONVITE PARA A MINHA FESTA DE ANIVERSÁRIO (Jundiaí-SP)

O que é uma peça se não um encontro? O que é uma festa se não um encontro? Sim, peças e festas são encontros. E peças de teatro online e festas de aniversário online se estabeleceram como alternativa à impossibilidade dos encontros. Convite Para Minha Festa De Aniversário é uma peça-festa-online: três atrizes organizaram esse evento teatral para comemorar seus aniversários de 40 anos. As atrizes são as aniversariantes da festa e os espectadores, seus convidados. Um jogo interativo onde os espectadores-convidados são chamados a dançar, conversar, bebericar, rir, chorar, refletir, acender velinhas, cantar parabéns, enfim…  comemorar esse encontro em que se misturam o teatro, a performance, o prosaico, o sagrado, a atuação, a vida. Direção Cênica: Kiko Marques; Dramaturgia: Tábata Makowski; Elenco: Caroline Ungaro, Laura Argento, Tábata Makowski.

3 de abril, às 19h

LOUCAS (São Paulo – SP)

A história começa a ser contada em 1882 com Maria do Pílar, ainda uma jovem mulher, escrevendo sua primeira carta, dentro do hospital psiquiátrico, para a sua família. Nela aparecem os relatos de sua rotina, a convivência com as companheiras, os tratamentos médicos, a falta que sente do mundo externo e de tudo que lhe foi tirado à força. A partir daí, durante os próximos 30 anos acontecerá uma série de troca de cartas com familiares e amigos. Pílar sempre afirma estar lúcida e saudável, além de pedir, implorar, por uma alta médica. Todas as respostas começam com palavras de conforto e incentivo, falando que a internação é somente por um período e que em breve será transferida. Texto: Sandra Massera; Direção: Dan Rosseto; Direção de produção e tradução: Fabio Camara; Elenco: Carolina Stofella e Gilberto Chaves

3 de abril, às 21h

ARRAIGADA – A SAGA POPULAR DE UMA HEROÍNA (Piracicaba – SP)

Enraizada em outras terras, Druvalina tem o sonho de contar sua história em um livro. E Giovani, seu filho do meio, dá vida a ela no palco. O monólogo traz a trajetória de uma mulher que foi desplantada de sua terra em busca de uma vida melhor, fugindo de situações que poderiam fazer o livro de sua vida ter poucas páginas. O quão belo é ser mãe meio a suas dificuldades, desde a descoberta ao carregar sua prole? Tal história leva a outros temas como violência doméstica, a força da sobrevivência e o poder da humanidade brasileira diante ao sistema imposto. Direção: Mariana Defendi; Elenco: Giovani Bruno; Dramaturgia: Giovani Bruno.

4 de abril, às 19h

SENHORA X, SENHORITA Y (São Paulo – SP)

Sob o pretexto de representar a peça A mais forte, de August Strindberg, duas atrizes e uma performer sonora se lançam em um jogo pelo qual intercambiam diversos papéis, explorando com humor ácido as construções heteronormativas do feminino sugeridas pelo texto. Indo mais longe: elas desafiam o autor sueco pela exposição de um disparador imprevisto: o corpo lésbico reivindicando o protagonismo da cena. O que diria Strindberg disso tudo? Direção Geral e Dramaturgia: Silvana Garcia; Elenco: Ana Paula Lopez, Sol Faganello e Camila Couto; Texto: Silvana Garcia, Ana Paula Lopez e Sol Faganello.

4 de abril, às 21h

PLANTAR CAVALOS PARA COLHER SEMENTES (São Bernardo do Campo – SP)

Livremente inspirada no manifesto “Falo pela minha diferença”, do ativista chileno Pedro Lemebel, trata-se de uma peça-manifesto onde cada artista traduz em cena seu lugar de fala, revelando a vivência como algo que se inscreve no corpo e na carne: a experiência como discurso da bicha preta periférica, da mulher gorda, da mulher negra, do homem trans, do corpo solitário, da mulher oprimida pela religião, da sapatão. Um encontro vivo, mas nem sempre confortável com o outro. Através da recusa do silêncio, estes corpos dizem de si para revelar e fazer ver a perversa estrutura que alimenta discursos e mecanismos racistas, homofóbicos, misóginos e transfóbicos, e tensionar em nós o que é reprodução da norma e incapacidade de desprogramar o previsto. Direção, concepção e pesquisa: Ronaldo Serruya; Manifestantes: Ailton Barros, Ana Vitória Prudente, Bernardo Gonzalez, Camila Couto, Carlos Jordão, Ericka Leal, Gabi Costa, Mateus Menezes, Patrícia Cretti e Tatiana Ribeiro.

5 de abril, às 21h

MEMÓRIAS PERDIDAS – A NOITE QUE SE APROXIMA (São José dos Campos – SP)

Uma doença percorre as mulheres de uma família: avó, mãe e filha. Enquanto a filha discorre sobre a doença, ela percorre suas memórias, que vão sendo perdidas, deixadas pelo caminho. Durante o percurso, dúvidas, incertezas, relações familiares e questionamentos sobre a vida e os cuidados com a doença são trazidos à tona. Direção: Caren Ruaro; Dramaturgia: Rogério Guarapiran e Simone Sobreda; Elenco: Cy Medeiros.

6 de abril, às 21h

PONTOS DE VISTA DE UM PALHAÇO (São Paulo – SP)

Um palhaço busca ajuda numa sessão de terapia. Esse é o pano de fundo para a adaptação teatral do romance homônimo “Pontos de Vista de Um Palhaço”, do alemão ganhador do Prêmio Nobel Heinrich Boll. Nesse solo, interpretado por Daniel Warren (indicado ao Prêmio Shell – 2017 por esse trabalho) e dirigido por Maristela Chelala, a alteridade existente entre o artista e seu personagem é explorada com o objetivo de criar reflexão sobre as máscaras sociais. 

7 de abril – MESAS DE DEBATE

18h- MESA: O TEATRO HÍBRIDO, com as presenças de:

Andrea Tedesco, dramaturga, diretora e performer de ¡Te Extraño! 

Tati Ribeiro, produtora de Plantar cavalos para colher sementes

Tábata Makowski, atriz e dramaturga de Convite para minha festa de aniversário 

Maristela Chelala, dramaturga e diretora de Ponto de vista de um palhaço 

Paula Autran, Mediadora

20h – MESA: TEATRO SOB A PERSPECTIVA DE GÊNERO, com as presenças de:

Simone Sobreda, dramaturga de Memórias Perdidas – a noite que se aproxima

Mariana Defendi, diretora de Arraigada – a saga popular de uma heroína

Sol Faganello, atriz de Senhora X, Senhorita Y

Carolina Stofella, atriz de Loucas

Paula Autran, mediadora

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio