Plaza Suite - Foto: Divulgação
Plaza Suite - Foto: Divulgação

Uma das cidades com o maior número de mortos e casos confirmados de Coronavírus, Nova Iorque terá que esperar um pouco mais até ver uma de suas avenidas mais famosas, a Broadway, aberta e em pleno funcionamento de novo.

Anteriormente prevista para abrigar a retomada de espetáculos a partir de março de 2021, a Broadway começa a sofrer os resultados da política de contenção omissa do governo do republicano Donald J. Trump (que lhe custou a reeleição a presidente da República no último dia 06 de novembro e alçou o democrata Joe Biden à Casa Branca) e já começa a projetar um retorno apenas em 2022.

Noticiado pelo site Playbill ontem, a produção do drama The Minutes, de Tracy Letts, não apenas só retornará aos palcos em 2022, como também precisará ser realocado para outro teatro, causando instabilidade na produção que cumpriuuma temporada de pré-estreia no Teatro Cort. A ideia inicial é de que o espetáculo reestreie em março, dois anos após a última apresentação de sua pré-estreia, mas ainda sem local definido.

O Observatório do Teatro apurou que outras produções devem seguir pelo mesmo caminho, entre elas Suite Plaza Hotel, de Neil Simon (1927-2018), estrelada por Sarah Jessica Parker e Matthew Broderick. A nova data de reestreia está agendada para maio de 2021 (originalmente, o espetáculo previa estreia em março do próximo ano), entretanto já houve por parte da produção prospecção para que o espetáculo estreie no palco do Teatro Hudson apenas em março de 2022. Se nada mudar, contudo, o teatro já tem programação para o período. A agenda não foi revelada.

Outro espetáculo sem retorno previsto é Company, o clássico de Stephen Sondheim estrelado por Patti LuPone e Katrina Lenk, que não chegou a confirmar a data de estreia em 2021 mas já prospecta um retorno apenas em 2022 no palco do Teatro Bernard B. Jacobs, sem a confirmação do espaço.

O setor cultural americano, representado por instituições como Broadway League e American Theatre Wing espera a tomada de posse de Joe Biden em 20 de novembro de 2021 para entender qual a nova política de contenção será adotada para haver uma posição oficial. Extraoficialmente, contudo, componentes de ambas as instituições confirmam que há um movimento de diálogo entre produções e a gestão dos teatros para uma nova agenda apenas em 2022.