Conheça Marcus Vinícius Faustini, diretor teatral escolhido para gerir pasta da cultura no governo Eduardo Paes

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Diretor teatral, dramaturgo e escritor, Marcus Vinicius Faustini foi anunciado na manhã desta segunda-feira, 07, como o nome responsável por gerir a pasta da Secretaria Municipal da Cultura no governo do prefeito eleito Eduardo Paes (DEM) a partir de 01 de janeiro de 2021, quando o democrata toma posse substituindo Marcelo Crivella (Republicanos) após derrotar o bispo em vitória inédita na cidade – Paes venceu em todos os colégios eleitorais no segundo turno.

O anúncio de Faustini na pasta causou boa impressão por meio da classe artística, que conhece o trabalho do artista não apenas por sua movimentação teatral, mas também pela mobilização em prol da valorização da cultura nas periferias e morros do Rio de Janeiro.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Ótima notícia! Eduardo Paes acertou na escolha de Marcus Faustini para a Secretaria da Cultura! O Rio merece!”, escreveu a Fernanda Abreu em storie postado em seu perfil oficial no Instagram.

Embora tenha carreira celebrada no teatro desde o final da década de 1990, quando encenou “Capitu”, elogiosa adaptação do clássico de Machado de Assis (ano) “Dom Casmurro”, Faustini é também fundador do projeto Reperiferia que, há décadas, promove a produção de projetos culturais o, moldando um caminho de incentivo à economia criativa.

Entre os projetos fundados pelo novo secretário da Cultura estão ainda a Escola Livre de Teatro da Zona Oeste, a Escola Livre de Cinema de Nova Iguaçu e a Escola Livre da Palavra na Lapa.

Natural da zona oeste carioca, Faustini foi, na adolescência, vice -presidente da AMES (Associação Municipal de Estudantes Secundaristas) se sobressaindo como um dos principais líderes estudantis da época na conquista do passe livre. Em 2005 foi Secretário da Cultura de Nova Iguaçu durante o mandato do petista Lindbergh Farias, além de ter assumido, anos depois, o cargo de superintendente de Cultura e Sociedade no governo Sérgio Cabral (MDB).

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio