Marcelo Airoldi- Foto: Divulgação
Marcelo Airoldi- Foto: Divulgação

Há nove anos, ao notar as discussões e pontes erguidas com artistas das cidades por onde passou com a turnê de seu solo A Queda, Marcello Airoldi teve o desejo de iniciar uma conexão com profissionais da arte de outros estados e cidades a fim de expandir afinidades e trocar experiências através de leituras de textos de novos autores de cada região. A ideia não foi pra frente por impossibilidades tecnológicas. “Hoje em dia as plataformas já não são essas coisas, imagina naquela época”, relembra.

A ideia permaneceu engavetada até que, graças a explosão de conteúdo feito para a internet e as redes sociais durante a quarentena preventiva de combate ao novo COVID-19 (Coronavírus), o ator decidiu que era a hora de testar um novo formato de encontros. E daí surgiu a Rede de Leituras, na qual encabeça uma lista de artistas, autores, atrizes, atores e diretores, que se propõem a realizar leituras por meio de lives no instagram e vídeos previamente gravados.

“A leitura pode funcionar [neste formato]. É um elemento do teatro que cabe ser transferido para a internet, diferente de uma peça, que muda completamente, o teatro filmado vira outra coisa, mas acredito que trabalhando com estes novos formatos podemos fortalecer o teatro que está tão frágil, afinal é feito do contato direto com o público. Se o público está impossibilitado de ir ao teatro, estamos fragilizados”, conceitua o ator e diretor que abre o ciclo com a leitura de O Monta-Cargas, texto do dramaturgo inglês Harold Pinter (1930-2008).

Sob a direção de Virginia Cavendish, Airoldi se une a Nelson Baskerville na leitura programada para amanhã, 30, às 20h no perfil oficial do projeto no Instagram (@rededeleituras). Agendado para acontecer semanalmente às quintas-feiras (sempre às 20h), o projeto propõe ainda um debate acerca da obra apresentada.

Entre os artistas já confirmados dentro da rede estão nomes como Alexandre Dal Farra, Marcelo Várzea, Duda Mamberti, Luccas Papp, Célia Forte, Claudia Missura, Eduardo Semerjian, Lavínia Pannunzio, Léo Stefanini,, Pedro Granato, Márcio Boaro, Vinícius Calderoni, Cris Werson, Kiko Pissolato, Otávio Martins, entre outros artistas.

“A partir do aspecto criativo do teatro, queremos também debater novas possibilidades do fazer teatral após esse período de pandemia. Acredito que podemos levar um novo público que estava só na internet para o teatro”, finaliza Airoldi.