Marcelo Serrado volta aos musicais em sátira cômica de Mel Brooks

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em 1974, o gênio da comédia norte americana Mel Brooks reinventou no cinema um dos clássicos da literatura inglesa, o romance Frankenstein ou o Prometeu Moderno (1823), da romancista londrina Mary Shelley (1797 – 1851). Na sátira Young Frankenstein, Brooks recontava a clássica história do monstro criado por um cientista e tido como filho, antes de ser caçado pela população da Transilvânia.

Em 2009, o mesmo Brooks adaptou para os palcos o filme que fizera sucesso 30 anos antes. Na esteira de outro êxito nos palcos, o musical Os Produtores (adaptação do hit Primavera para Hitler, de 1968), Brooks angariou com Young Frankenstein três indicações ao Prêmio Tony e quatro ao Drama Desk Awards, além de montagens em países como Inglaterra, Argentina, México, Espanha e Itália.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Onze anos após sua primeira montagem na Broadway, o espetáculo enfim chega ao Brasil, com montagem prevista para março de 2020 no Teatro Renault, na Brigadeiro Luís Antônio. Sob a direção da dupla de diretores Charles Möeller & Cláudio Botelho, o espetáculo já conta com a figura de seu protagonista.

Marcelo Serrado retorna ao teatro musical para dar vida ao jovem Frankenstein na adaptação de Möeller & Botelho. O ator, que estreou no gênero em 2015 na encenação de Memórias de um Gigolô, de Miguel Falabella, Serrado também esteve na montagem de A Noviça Rebelde, de Möeller & Botelho, no papel de Tio Max, que já foi interpretado por nomes como Fernando Eiras, Francarlos Reis (1941 – 2009) e Sandro Christopher.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio