Prêmio Cesgranrio anuncia indicados do primeiro semestre de 2019, e destaca Merlin e As Crianças

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Espetáculo indicado ao prêmio Tony, o mais importante do teatro americano, em 2016, As Crianças recebeu sua primeira montagem brasileira no primeiro semestre deste ano de 2019, e é a produção que lidera as indicações do Prêmio Cesgranrio, um dos mais importantes do teatro carioca, nas categorias dedicadas ao chamado “teatro convencional”.

Sob a direção de Rodrigo Portella, o espetáculo – estrelado por
Analu Prestes, Stela Freitas e Mario Borges – concorre a seis das 12 categorias,
Melhor Espetáculo, Melhor Direção, Melhor Atriz (para Analu Prestes), Melhor Cenografia,
Melhor Ato (Mário Borges) e a Categoria Especial para a versão do texto
assinada por Diego Teza, dramaturgo que concorre também pelas versões de Todas as Coisas Maravilhosas e Meninas e Meninos.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A segunda maio indicada, em quatro categorias, é Cálculo Ilógico, de Jessika Menkel, que
concorre a Melhor Direção (Daniel Herz), Melhor Espetáculo, Melhor Texto
Nacional e Melhor Atriz (Jessika Menkel).

Na seara do teatro musical, Ao Som de Raul Seixas Merlin e Arthur, Um Sonho de Liberdade
recebeu sete indicações, com Melhor Figurino, Melhor Ator em Teatro Musical
(Saulo Segreto e Patrick Amstalden), Melhor Atriz em Musical (Kacau Gomes),
Melhor Direção Musical e Melhor Texto Nacional Inédito.

Estes são os selecionados do primeiro semestre. Em dezembro,
a Fundação Cesgranrio divulgará os indicados do segundo semestre. O vencedor de
cada categoria recebe o valor de R$ 25mil e a comissão é formada por Carolina
Virgüez, Daniel Schenker, Jacqueline Laurence, Lionel Fischer, Macksen Luiz, Rafael
Teixeira e Tânia Brandão.

Confira abaixo a lista
completa de indicados:

MELHOR FIGURINO

João Pimenta pelo espetáculo Ao Som de Raul Seixas Merlin e Arthur, Um
Sonho de Liberdade

Marcelo Marques pelo espetáculo Cole Porter Ele Nunca Disse Que Me Amava

Tiago Ribeiro pelo espetáculo Interior

MELHOR CENOGRAFIA

Bia Junqueira, pelo espetáculo Eu, Moby Dick

Ana Teixeira e Stephane Brodt pelo espetáculo Jogo de Damas

Rodrigo Portella e Julia Deccache pelo espetáculo As Crianças

MELHOR ILUMINAÇÃO

Paulo César Medeiros pelo espetáculo As Crianças

Renato Machado pelo espetáculo Eu, Moby Dick

Renato Machado pelo espetáculo Jogo de Damas

MELHOR ATOR

Kiko Mascarenhas pelo espetáculo Todas as Coisas Maravilhosas

Caio Scot pelo espetáculo Como Se Um Trem Passasse

Mario Borges pelo espetáculo As Crianças

MELHOR ATOR EM TEATRO MUSICAL

Patrick Amstalden pelo espetáculo Ao Som de Raul Seixas Merlin e Arthur,
Um Sonho de Liberdade

Saulo Segreto pelo espetáculo Ao Som de Raul Seixas Merlin e Arthur, Um
Sonho de Liberdade

CATEGORIA ESPECIAL

Ana Turra, Camila Schmidt e Rogério Velloso pelo Set Design, videodesign,
cenografia e iluminação de Ao Som de Raul Seixas Merlin e Arthur, Um Sonho de
Liberdade

Diego Teza pelas traduções de As Crianças, Todas as Coisas Maravilhosas e
Meninas e Meninos

Celina Sodré pelos 10 anos de atividades do Instituto do Ator

MELHOR ATRIZ

Analu Prestes pelo espetáculo As Crianças

Jéssika Menkel pelo espetáculo Cálculo Ilógico

Claudia Ventura pelo espetáculo A Verdade

MELHOR ATRIZ EM MUSICAL

Kacau Gomes pelo espetáculo Ao Som de Raul Seixas ‘Merlin e Arthur, Um
Sonho de Liberdade

Evelyn Castro pelo espetáculo Quebrando Regras O Musical Um Tributo a
Tina Turner

Bel Lima pelo espetáculo Cole Porter Ele Nunca Disse Que Me Amava

MELHOR DIREÇÃO

Rodrigo Portella pelo espetáculo As Crianças

Felipe Hirsch pelo espetáculo Antes que a Definitiva Noite se Espalhe em
Latino América

Daniel Herz pelo espetáculo Cálculo Ilógico

MELHOR DIREÇÃO MUSICAL

Claudio Botelho pelo espetáculo Cole Porter Ele Nunca Disse Que Me Amava

Fabio Cardia e Jules Vandystadt pelo espetáculo Ao Som de Raul Seixas
‘Merlin e Arthur, Um Sonho de Liberdade

Tony Lucchesi pelo espetáculo Quebrando Regras O Musical Um Tributo a
Tina Turner

MELHOR TEXTO NACIONAL INÉDITO

Luciana Pessanha pelo espetáculo Os Desajustados

Márcia Zanelatto pelo espetáculo Ao Som de Raul Seixas Merlin e Arthur,
Um Sonho de Liberdade

Jéssika Menkel pelo espetáculo Cálculo Ilógico

MELHOR ESPETÁCULO

As Crianças

Todas As Coisas Maravilhosas

Cálculo Ilógico

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio